Sobre a QI Profissional

 

Desde 2006, a QI Profissional orienta profissionais na melhoria da busca por oportunidades.

Nossa Missão

Orientar profissionais na descoberta de seus talentos e seus diferenciais.

Nossa Visão

Todas as pessoas são diferentes, tanto na forma de pensar como de agir. É necessário dominar os talentos para corrigir rumos e promover a caminhada mais suave, conquistando harmonia na vida.

É essencial que os profissionais descubram o valor do tempo. Quando aprendem a comandar suas carreiras há como harmonizar trabalho, estudos, família e social.

Nossos Valores

Dignificar a vida.

sobre.jpg

Para profissionais com interesse em:

  • Comandar sua carreira;
  • Atingir seus objetivos profissionais;
  • Determinar o ritmo da caminhada profissional;
  • Trabalhar numa empresa que o valoriza;
  • Renovar sua rede de contatos;
  • Orientação sobre o próximo passo;
  • Descobrir seus talentos e por consequência o diferencial competitivo;
  • Entrar em outro mercado de trabalho;
  • Se manter no mesmo mercado de trabalho.

Saiba mais sobre nossa de assessoria de carreira

Para empresas:

  • Profissionais previamente analisados, quanto a competência técnica e comportamental;
  • Sem necessidade de investimentos, além do tempo, de analisar currículos;
  • Currículo adequados aos perfis das vagas.

Como tudo começou

Em 2004 duas pessoas se conheceram, Márcio Moraes e Nara Neves, no Centro Universitário Senac Campos do Jordão, SP e a partir daí a parceria se construiu para oferecer aos profissionais um olhar diferente de como conduzir a carreira.

A grande descoberta

No primeiro momento, os profissionais formados nos diversos cursos de graduação e especialização, mesmo qualificados, apresentaram muita dificuldade em encontrar um emprego. 

Depois, essa mesma dificuldade foi percebida nos profissionais com vasta experiência.

Dentre as causas, observamos aspectos relevantes.

Nos profissionais:

  • Apresentavam currículo abaixo das suas reais competências. Um dos motivos é a ausência do conhecimento sobre seu potencial;
  • Muitos trabalhavam sem se preocupar se estavam seguindo uma carreira, simplesmente trabalhavam;
  • Poucos sabiam do seu diferencial competitivo, acreditavam que ser igual é o melhor modelo, ou seja, tentavam se encaixar aos padrões estabelecidos sem olhar para si;
  • Acreditavam que qualquer trabalho servia, bastava atender o valor salarial;
  • Aceitavam qualquer trabalho, sem nenhuma análise mais aprofundada;
  • Dependiam exclusivamente da empresa para promover a carreira. Caso a empresa não apresentasse possibilidade de crescimento profissional, assim se acomodavam;
  • Pensavam numa mudança de perspectiva quando estavam desempregados, porém sem economia suficiente retornavam à situação anterior, a busca por uma recolocação com o objetivo de atender a necessidade financeira;
  • Currículos atualizados sem planejamento. Muitos atualizavam o currículo quando desempregados, outros acrescentavam uma linha ou outra conforme os anos passavam, dessa forma muitos currículos divulgavam mais as competências do passado que as atuais;
  • Despreocupação com o futuro da carreira, o interesse era trabalhar;
  • Dependiam de uma rede de relacionamento “viciada” em suas competências do passado, assim era comum encontrar profissionais que por anos, mesmo mudando de empresa, seguindo no mesmo cargo e responsabilidade, mesmo querendo outros desafios e tendo competência para fazer essa mudança;
  • Dificuldade de relacionamento com o mercado de trabalho, mantinham contatos ativos com àqueles que estavam no seu círculo de amizade dentro da própria empresa;
  • Poucas inciativas para encontrar contatos mais direcionados aos seus interesses profissionais;
  • Poucos mantinham uma conversa regular com os perfis profissionais que poderiam renovar sua carreira;
  • Participavam de qualquer processo de seleção, mesmo naqueles que não tinham nenhuma compatibilidade.

 Nas empresas:

  • Nem sempre tinham recrutadores qualificados para analisar perfis qualificados. Muito se devia a ausência de profissionais qualificados na área de gestão de pessoas e Recursos Humanos estratégico;
  • Analisavam currículos de forma subjetiva – Gostar ou não gostar. Enquanto o mercado oferecia inúmeras ferramentas adequadas de recrutamento e seleção;
  • Muitas empresas apresentavam um sistema de avaliação mais voltada para exclusão de currículos. Do outro lado currículos evasivos faziam talentos se perderem por ausência de análise mais aprofundada;
  • Muitas empresas se preocupavam mais com as breves experiências, rotulados como aventureiros, do que como essas experiências, em vários casos, enriqueceram as competências do profissional. Sem questionar os profissionais, a exclusão eliminava dos processos de seleção, profissionais altamente qualificados que fizeram péssimas escolhas, aceitaram propostas que no decorrer não foram contempladas, pediram demissão do chefe e não da empresa, foram demitidos por razões pessoais e não profissionais, entre outros. Muitos desses buscam uma empresa que os valorizem para se manter por um longo período;
  • Apresentavam dificuldade de conversar com o mercado de trabalho, desconheciam os perfis qualificados no mercado. Sem um banco de talentos, corriam de última hora para buscar o profissional adequado para oportunidades estratégicas para empresa;
  • Dificuldade de apresentar um perfil de vaga coerente, com os detalhes sobre as competências que buscavam, possibilitando que profissionais com qualquer competência participasse do processo de seleção.

Era necessário uma ponte

Assim, a QI Profissional se posicionou, assumindo a posição de ponte para orientar o profissional sobre a empresa mais adequada para seu perfil. Com isso, conquistando a satisfação dos dois lados, profissionais qualificados para empresas adequadas.

Por isso, a célebre frase:

“Qual organização pode se dar ao luxo de viver sem profissionais qualificados?”

Nos conheça

Márcio Moraes: Atualmente Diretor da área de carreira da QI Profissional, com experiência em gestão de empreendimentos, qualificação e desenvolvimento de equipes. Foi professor universitário, lecionou disciplinas como: gestão empreendedora, desenvolvimento de projetos, administração, gestão de carreira. Coordenou mais de 30 projetos na área de estudo de mercado e implantação de empresas. Formação em curso avançado de análise das competências comportamentais na metodologia DISC.

Nara Neves: Atualmente Diretora na área de prospecção de vagas. Experiência na formação de mão de obra. Graduada em gastronomia e com diversos cursos de relevância na área. Desde 2008 está à frente de projetos de seleção e recrutamento de equipes.

 

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba as novidades da QI Profissional

(c) 2021 • Todos os direitos reservados